SOBRE ENSINO REMOTO...

      A pandemia de covid-19 trouxe inúmeras mudanças para o mundo como um todo. No Brasil, a crise sanitária se junta a uma crise política do governo vigente, que, sem medidas efetivas para evitar o contágio e o adoecimento da população, culminou em um longo e conturbado período de quarentena, em que as aulas de universidades públicas federais continuam suspensas. O governo não deixou boas perspectivas para as crises sanitária, política, econômica e educacional, fazendo com que se iniciasse o debate sobre Ensino Remoto Emergencial como uma solução aos problemas na educação que o país enfrenta.

      Na UFV, o curso de Medicina (juntamente a outros cursos da área da saúde) vem sofrendo muito não apenas com o Ensino Remoto, mas também pela ausência de carga horária prática e pelo distanciamento do conteúdo teórico-prático, tão essencial para a nossa formação e para os bons resultados que o curso apresenta em avaliações como o ENADE. O MedCA, então, tomou a frente e se articulou para defender a totalidade dos estudantes do curso e, também, para lutar por um ensino público de qualidade e socialmente referenciado, como prevê nosso estatuto. 
    Os documentos disponibilizados abaixo fazem parte desta ação, nesta ordem: Documento sobre a redução de danos para a aplicação do Período remoto, já que este foi imposto; Posicionamento do MedCa acerca de um Ensino Remoto Emergencial; Dados utilizados pelo MedCa na construção dos documentos; Documento em que o MedCa apresenta, juntamente à coordenação, as incongruências do calendário apresentado pela UFV para cursos com demasiada carga horária e uma proposta alternativa. 

Redução de Danos

Posicionamento do

MedCA a respeito do ERE

Dados da Consulta Estudantil - MedCA

PER, PPP e Proposta Alternativa